AIDS felina: saiba tudo

/
0 Comentários
Existe uma variedade de doenças que podem afetar seu gatinho, muitas são evitadas através da criação responsável do seu animal (incluindo vacinação e castração). Entre elas, uma das mais graves é a AIDS felina, ou FIV, síndrome da imunodeficiência felina. Assim como a síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS) humana, a FIV não possui cura, mas pode ser controlada a partir do uso de diversos medicamentos.

As formas de contágio são através do contato com a saliva e sangue do animal infectado. Isso pode acontecer a partir de arranhões e mordidas em brigas, uso comum do mesmo recipiente de comida, e também de mãe para filhote, por exemplo. Não há indícios concretos de que o contato sexual também seja uma forma de contágio da AIDS em gatos.

Em muitos casos a doença pode ser transmitida através do contato com gatos que ficam na rua ou tem acesso livre à ela frequentemente. Por isso é muito importante uma criação responsável de seu felino, incluindo castração e vacinação, além de evitar que ele tenha acesso à rua e convivência com animais que possam estar infectados.

cuidados com gato
Deixar o gato dentro de casa é o ideal para evitar
qualquer tipo de doença.

A FIV é classificada em cinco estágios. É preciso observar atentamente o comportamento do seu bichano para conseguir diagnosticar a doença ainda no estágio inicial. Nesse período alguns dos sintomas apresentados são anemia e febre, nos estágios mais avançados o animal pode apresentar doenças crônicas e perca de peso.

Vale salientar que as características citadas podem aparecer em todos os estágios, por isso é imprescindível levar seu gatinho ao veterinário caso ele apresente qualquer comportamento diferente para que se faça o diagnóstico clínico a partir de exames.

Se seu gato está com doenças "simples" mas que não respondem ao tratamento fique atento e solicite exames mais específicos para seu veterinário a fim de comprovar se seu bichano possui a FIV.

Animais que são diagnosticados na fase inicial da doença têm mais chance de possuírem tratamento efetivo. Quando se trata da FIV a melhor arma é a prevenção.

Leia também:





Você também irá gostar

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.